Blogosfera

Eu sempre…

desafio 52 semanas, eu sempre, queseame, que se ame, blog que se ame
desafio 52 semanas, eu sempre, queseame, que se ame, blog que se ame

 Gostei de fazer coisas manuais

Aprendi a fazer crochê com minha mãe quando tinha uns 10 anos de idade e hoje em dia eu sempre tento fazer as coisas que quero sozinha, principalmente as manuais.

 Fui meio autodidata

Na época da escola tinham algumas matérias que os professores eram péssimos, ninguém aprendia nada com eles. Mas eu sempre me virei e preferia estudar sozinha e me dava bem nas provas.

 Amei brigadeiro

Vocês devem achar que eu sou a louca do brigadeiro porque ele já apareceu várias vezes aqui nesse desafio como uma das respostas, mas gente… o que eu posso fazer se tenho um amor sério com ele?

 Preferi a cor preta

Desde que me entendo por gente toda vez que precisava escolher a cor de qualquer coisa, seja roupa, um objeto ou sei lá, eu sempre escolhia a cor preta! E até hoje sou um pouco assim, se deixar só uso roupas pretas, andei em uma fase que só queria pintar as unhas de preto.

 Tive um pouco da síndrome de Dori

A Dori do “Procurando Nemo”, lembra? Ela esquece as coisas com facilidade e eu tenho um pouco disso. Já cheguei na casa de um amigo, certa vez, falei com a irmã dele na cozinha e fui pra sala. Não demorou nem 5 minutos e eu voltei na cozinha só pra falar oi com ela porque eu achava que tinha passado por ela sem falar! Ela ficou me olhando com uma cara de “você esta maluca?” foi aí que me toquei que minha mente tinha dado o apagão normal de sempre e rimos muito! hahahaha

Você tem algo que sempre faz? Me conta nos comentários!


Este post faz parte do Desafio 52 Semanas, que é uma série de posts no estilo Top 5 e cada semana tem um tema diferente para responder. Confira todas as respostas do desafio aqui.

Você Também Pode Gostar

Post Anterior
Próximo Post

24 Comentários

Deixe uma resposta

Comente pelo Facebook


  1. Responder
    Daiane pEREIRA
    6 de setembro de 2016 at 23:34

    Hahaha… eu super me identifiquei.

    1. Responder
      Bru Santos
      21 de setembro de 2016 at 18:55

      Obaa!!

      ❤ 😘

  2. Responder
    Danielle S.
    24 de fevereiro de 2016 at 12:18

    Noossa, quando era pequena tentei aprender a fazer crochê e bordar com a minha mãe… Desisti na hora e aprendi que coisas manuais não são comigo! hahahahah! Olha, brigadeiro tem que aparecer como resposta pra tudo, até para uma vida mais feliz, brigadeiro é vida! ♥
    Uma coisa que eu faço sempre, e que é meio relacionado com essa síndrome de Dory, que também tenho um pouco, é olhar a hora e esquecer completamente o que vi e ter que olhar de novo hahahahahah!

    Beeijo ♥

    1. Responder
      Bru Santos
      27 de fevereiro de 2016 at 03:23

      Olhar a hora e esquecer eu nem conto mais como esquecimento meu, Dani! virou costume mesmo! hahahahahha

  3. Responder
    Lilian Moraes
    24 de fevereiro de 2016 at 10:00

    Que post legal! Eu também sempre fui autodidata, não gosto de aprender com alguém, principalmente em cursos e coisas assim, prefiro estudar sozinha mesmo. Eu também amo brigadeiro!

    Beijos

    1. Responder
      Bru Santos
      27 de fevereiro de 2016 at 03:22

      Nossa eu estudo muito sozinha Lilian! Sempre fui um pouco assim no colégio, mas agora sou muito mais.

  4. Responder
    Am
    23 de fevereiro de 2016 at 21:17

    Adorei!! Eu sempre amei interpretar e sempre odiei quando as comidas se encostam no prato, hahaha. Beijos!

    http://vacasmagras.com

    1. Responder
      Bru Santos
      27 de fevereiro de 2016 at 03:21

      hahahhaha quando se encostam uma na outra? Achei engraçado!

  5. Responder
    Dai Castro
    23 de fevereiro de 2016 at 20:20

    Não tem como não amar brigadeiro <3 E que bacana que gosta de trabalhos manuais!!! <3

    1. Responder
      Bru Santos
      27 de fevereiro de 2016 at 03:21

      Não tem como mesmo, Dai! Brigadeiro é a perdição maior!

  6. Responder
    Debora
    22 de fevereiro de 2016 at 16:20

    Olá Bru tudo bem???

    Nossa muito bacana poder te conhecer mais…

    Beijinhos;
    Débora.
    http://derbymotta.blogspot.com.br/

    1. Responder
      Bru Santos
      27 de fevereiro de 2016 at 03:14

      Que bom Debora!! :))

  7. Responder
    Camila Faria
    22 de fevereiro de 2016 at 14:31

    Eu também sempre amei a cor preta (e cinza também) ~ tenho que me controlar para não ter somente peças dessas cores no armário. E ri muito com essa sua história de esquecimento, viu? Hahaha!

    1. Responder
      Bru Santos
      27 de fevereiro de 2016 at 03:13

      Menina é uma coisa esse negócio do esquecimento.
      Tem épocas que fica pior, tem épocas que quase não acontece. Mas sempre que acontece, algum mico desses acontece junto e eu fico rindo depois sozinha!

  8. Responder
    Anna Kcau
    22 de fevereiro de 2016 at 01:51

    Me identifiquei muito com as duas primeiras. Aprendi ponto cruz super cedo com a minha mãe e cresci aprendendo coisas diferentes com ela. Até hoje ela me ensina tudo que eu peço, semana passada aprendi o crochê. E eu sou autodidata quando é do meu interesse, como quando eu encanei que queria fazer os layouts do meu blog por conta própria e aprendi muito de programação fuçando na internet. Mas isso já faz muitos anos, hoje em dia não me importo em usar templates prontos hahahaha. Beijos, Bru!

    1. Responder
      Bru Santos
      27 de fevereiro de 2016 at 03:12

      Também aprendi ponto cruz bem cedo Anna, mas não tive muita paciência porque eu era bem lerda fazendo. E sempre queria que ficasse pronto logo.

  9. Responder
    Bela
    21 de fevereiro de 2016 at 13:12

    Tamo juntas. Eu sempre preferi fazer minhas próprias capas de caderno.
    Sempre procurei possíbilidades de criar algo que eu não podia comprar…
    | A Bela, não a Fera |
    | FB Page A Bela, não a Fera|

    1. Responder
      Bru Santos
      27 de fevereiro de 2016 at 03:08

      É tão bom ver depois de pronto que fomos nós mesmas que fizemos, né! Eu amo demais!

  10. Responder
    Stephanie Ferreira
    21 de fevereiro de 2016 at 10:04

    Eu também tenho um pouco da Dori hehehe Sempre esqueço o que vou falar, meu noivo fala que ficou com leg kkkk
    E sempre foi meio auto-didata e meio sem paciência na escola pra aprender o que já sabia.
    Beijão Bru

    1. Responder
      Bru Santos
      27 de fevereiro de 2016 at 03:08

      Eu tenho muito leg então Stephanie!! kkkkk

  11. Responder
    Josy Alves
    20 de fevereiro de 2016 at 20:46

    Adorei o seu #Top5 do Desafio! Super me identifiquei com todos os itens, principalmente a síndrome de Dori, haaha <3
    Beijos

    http://www.ostonsdaliberdade.com

    1. Responder
      Bru Santos
      27 de fevereiro de 2016 at 03:06

      Bate aqui Josy!! hahaha
      Já paguei cada mico com isso!! kkkk

  12. Responder
    Dê Rodrigues
    20 de fevereiro de 2016 at 16:45

    Oi, Bru! Meninaaa, quem não é apaixonada por brigadeiro, neh? Não deve ser uma pessoa confiável, rsrs. AAAhh, eu sou a pessoa esquecida, sempre, tamujunto, hahahah. Beijokas

    http://www.quasevaidosa.com/

    1. Responder
      Bru Santos
      27 de fevereiro de 2016 at 03:05

      Com certeza bom sujeito não é!! hahaha Brigadeiro é vida!! Pena que ele engorda nossas vidas também! hahahahaha