Há pouco mais de 50 dias eu passei por um procedimento cirúrgico, a cirurgia bariátrica. E é sobre a minha experiência e todos os procedimentos que eu vou falar aqui hoje.

Eu não estava planejando falar sobre a cirurgia aqui no blog, porque já falei lá no meu instagram e no nosso clubinho do amor. Mas algumas pessoas me pediram para eu falar mais sobre o meu processo.

E vai ser bom deixar registrado aqui para que eu possa sempre voltar e relembrar de tudo isso.

E só para deixar bem claro, eu não sou nenhuma especialista na área da saúde e nem nutrição. Tudo que vou relatar aqui é a minha experiência, tudo que vivi e estou vivendo pós cirurgia bariátrica.

Se quiser me fazer alguma pergunta, deixe aqui nos comentários que será um prazer te responder!

» Veja Também: Planner para organizar sua saúde, emagrecimento e vida fitness

Minha decisão pela Bariátrica

Eu sempre tive muita facilidade para engordar. Não fui uma criança nem adolescente gordinha, mas na minha vida adulta eu engordava com muita facilidade.

Em 2013 tive vários problemas pessoais que me ajudaram a engordar ainda mais. Em 2016 eu atingi o meu maior peso, 132,4kg. Para minha altura, eu estava no grau de obesidade mórbida.

Eu não tinha mais esperanças, chorava todos os dias achando que não tinha mais solução e sozinha eu não conseguia sair daquele fundo do poço que eu estava.

No final do ano de 2016, vi uma propaganda de um programa de emagrecimento que durava 4 meses em uma academia aqui perto de casa. Era um programa de emagrecimento para pessoas muito obesas, eu me inscrevi sem nem pensar.

Foram 4 meses com uma dieta restrita e treinando muito pesado por 6 dias na semana, no mínimo, 3h por dia. Emagreci 25kg nesses 4 meses, o que foi um excelente resultado.

emagrecimento, cirurgia bariátrica, bariátrica, sleeve, emagrecer, obesidade, obesidade mórbida, como emagrecer

Continuei treinando normalmente após o fim do programa, mas 4 meses depois teve que passar por 2 cirurgias seguidas. O que me deixou o restante do ano de 2017 e início de 2018 sem poder fazer atividade física nenhuma.

E 2017 foi novamente um ano bem difícil para mim, tanto de recuperação da saúde como de perdas muito grandes. Eu não tive preparo psicológico nenhum para as coisas que precisei passar e o resultado foi que de 2018 pra cá eu abandonei dieta e voltei a engordar novamente.

Em 2019 eu já tinha recuperado quase todo meu peso inicial, estava de novo no fundo do poço.

Durante todos esses anos, a obesidade me fez eu me esconder do mundo. Eu tinha vergonha de sair de casa, morria de medo de sentar em uma cadeira, odiava ir comprar uma roupa, por muitas vezes tinha medo de lutar pelos meus sonhos. Eu tinha vergonha de mim mesma.

Eu já havia pensado em fazer a cirurgia bariátrica, mas o medo falava muito mais alto. Até que em 2019 eu fui em um aniversário e o que eu mais temia aconteceu: eu sentei em uma cadeira e ela se quebrou comigo.

Naquele dia eu me senti muito mal. Não tenho como descrever aquele sentimento. E naquele dia eu falei pra mim mesma, eu vou estudar essa cirurgia e, se eu estiver apta, vou fazer.

A partir daquele dia comecei a ler tudo que você pode imaginar sobre a bariátrica, assisti milhares de vídeos de relatos de outras pessoas e entrei em vários grupos sobre o assunto.

Além dos problemas psicológicos que a obesidade me trazia, ela também estava me causando outros problemas como gordura no fígado, dores nos joelhos, minha pressão estava começando a ficar descontrolada. Eu precisava tomar uma atitude.

Como foi o processo até a cirurgia bariátrica?

No começo de 2019 eu comecei a fazer acompanhamento psicológico e com nutricionista para tentar emagrecer. Até então, eu ainda não queria fazer a cirurgia. Queria tentar, mais uma vez, com atividade física e reeducação alimentar.

Tinha mês que eu emagrecia 1kg, no mês seguinte engordava 2kg. Ficava super frustrada todo mês, era como se todo meu esforço não fizessem mais efeito algum. Mesmo assim continuei indo na nutri e na psicóloga.

Em outubro aconteceu a situação da quebra da cadeira no aniversário. Comecei a estudar feito louca sobre a cirurgia. Umas semanas depois, uma amiga me indicou um cirurgião que o marido dela havia operado. Cheguei em casa e fui pesquisar o médico. Liguei e marquei uma consulta para o final de novembro.

Dia 29 de novembro fui na primeira consulta com o cirurgião. Saí de lá já com todos os pedidos de exames e laudos que precisava para operar. Enrolei o mês de dezembro inteiro e não fiz nenhum exame. Só em janeiro que finalmente eu resolvi encarar de frente.

Comecei a fazer os exames dia 24 de janeiro e dia 18 de fevereiro já estava com todos prontos. No dia 04 de março peguei o último laudo médico que estava faltando e no dia 06 de março fui para a segunda consulta com o cirurgião, para ele olhar tudo.

Saí dessa segunda consulta do cirurgião com a confirmação que eu estava apta para operar e já com todos os papéis para dar entrada no meu plano de saúde para a solicitação da cirurgia.

Dei entrada no plano de saúde no dia 06 de março mesmo. O plano tinha até 30 dias para liberar, mas com apenas 5 dias eles já mandaram a liberação.

Liguei para o meu médico e marcamos a cirurgia para o dia 16 de março. Do dia que marcamos para o dia da cirurgia eu tinha só 5 dias. Não tive nem tempo de ficar nervosa e querer desistir. O que pra mim foi ótimo.

Dia 16/03/2020 operei. Fiz a gastrectomia vertical, também conhecida como sleeve.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Bru Santos | Que se Ame (@queseame) em

Pós operatório da cirurgia bariátrica

Acordei da cirurgia bem. Não senti dor no estômago e nem enjoo, sentia apenas como se estivesse com a barriga cheia, sabe?

O que foi mais difícil pra mim, nesse pós imediato, foram dores nas costas. Não tinha relação direta com a cirurgia, mas sim com o fato de ficar muitas horas em uma posição só na cama e sem poder me movimentar muito.

Passei a primeira noite em claro por causa das dores nas costas. No dia seguinte, logo cedo, já pude levantar, ficar sentada e caminhar um pouco.

A primeira refeição foi um caldo salgado que não tinha gosto de nada. Comida de hospital, né! Mas desceu muito bem. Não tive enjoo e nem dor. Um tempo depois tive que beber água e essa sim me deu muito enjoo na hora. Mas com o tempo fui acostumando e sentindo cada vez menos.

Dia 18 de março, logo pela manhã, tive alta. Já estávamos com todas as restrições por causa do covid-19. Eu acabei entrando em quarentena antes de todo mundo.

Nos primeiros 15 dias segui uma dieta líquida. Só podia “comer” sopa batia e coada, gelatina diet, iogurte light sem pedaços e mais líquido, sucos não ácidos, leite desnatado (eu não tomava porque não gosto de leite). E tinha que me hidratar com água, água de coco e isotônico.

Essa fase é bem difícil porque não tem nada para mastigar e tem horas que dá muita vontade de mastigar alguma coisa. Eu não sentia fome e nem vontade de comer nada, mas se não me alimentasse nos horários certos eu sentia bastante tontura e fraqueza.

Não sei se foi o fato de eu ter estudado muito antes e já estava preparada para essa fase ser bem difícil, mas demorei para enjoar da dieta líquida. Fui enjoar já estava quase entrando na fase da dieta pastosa.

Do 16º ao 30º dia segui a dieta pastosa. As coisas melhoraram um pouco com relação ao que podia comer. Podia comer carne moída, peixe ou frango bem cozidos e desfiados, purês de legumes, frutas raspadas ou amassadas, pão amolecido.

Mas, pra mim, a dieta pastosa acabou sendo mais difícil. Eu sentia bastante enjoo. Coisa que até então eu tinha tido pouquíssimas vezes. Também tinha muita fraqueza nessa fase. Tinha dia que eu não queria nem levantar da cama.

Só com pouco mais de 30 dias que essa fraqueza deu uma boa melhorada.

Hoje estou com um pouco mais de 50 dias de operada. Já como os alimentos sem precisar amassar ou bater no liquidificador. E tenho tido pouco enjoo. Não tenho muito o que falar da deita em si agora nesse momento, porque ainda vou passar pela nutricionista na próxima semana para ver o que vai mudar.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Bru Santos | Que se Ame (@queseame) em

Se você quer saber alguma coisa sobre a bariátrica, deixe aqui nos comentários! Será um prazer te responder! ♥

emagrecimento, cirurgia bariátrica, bariátrica, sleeve, emagrecer, obesidade, obesidade mórbida, como emagrecer

emagrecimento, cirurgia bariátrica, bariátrica, sleeve, emagrecer, obesidade, obesidade mórbida, como emagrecer

emagrecimento, cirurgia bariátrica, bariátrica, sleeve, emagrecer, obesidade, obesidade mórbida, como emagrecer

emagrecimento, cirurgia bariátrica, bariátrica, sleeve, emagrecer, obesidade, obesidade mórbida, como emagrecer

emagrecimento, cirurgia bariátrica, bariátrica, sleeve, emagrecer, obesidade, obesidade mórbida, como emagrecer

emagrecimento, cirurgia bariátrica, bariátrica, sleeve, emagrecer, obesidade, obesidade mórbida, como emagrecer

emagrecimento, cirurgia bariátrica, bariátrica, sleeve, emagrecer, obesidade, obesidade mórbida, como emagrecer

emagrecimento, cirurgia bariátrica, bariátrica, sleeve, emagrecer, obesidade, obesidade mórbida, como emagrecer

emagrecimento, cirurgia bariátrica, bariátrica, sleeve, emagrecer, obesidade, obesidade mórbida, como emagrecer

emagrecimento, cirurgia bariátrica, bariátrica, sleeve, emagrecer, obesidade, obesidade mórbida, como emagrecer

emagrecimento, cirurgia bariátrica, bariátrica, sleeve, emagrecer, obesidade, obesidade mórbida, como emagrecer

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 comentários em “Minha Cirurgia Bariátrica

  1. Oi, comecei a acompanhar você a pouco tempo no Instagram, eu trabalho como operadora de caixa , gostaria de fazer nas minhas férias você acha que eu consigo me recuperar em apenas 30 dias e depois trabalhar normal ? Sei que você não é especialista no assunto mais gostaria de saber sua opinião

    1. Oi Isabelle, vai depender do seu médico.
      Mas com 30 dias é possível sim.
      Não pode fazer esforço físico e nem pegar peso. Mas como você deve trabalhar mais sentada, acredito que não terá problemas.
      Com 30 dias eu tinha muita fraqueza ainda, mas dava para ficar sentada tranquilo.
      Converse com o seu médico, porque pode ter alguma questão que eu não saiba te dizer se tem algum problema ou não.

      Beijinhos ❤😘